Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Saiba mais

Almaraz: Espanha recua e recebe ministro em dia de manifestação

Reconquista - 11/01/2017 - 18:07

Espanha garantiu que o processo de construção do armazém “não está encerrado”. Lisboa recebe manifestação pelo encerramento da central nuclear.

A contestação à central tem vindo a subir de tom. Foto DR

O ministro do Ambiente João Pedro Matos Fernandes vai reunir esta quinta-feira com as autoridades espanholas para discutir a questão da construção do armazém de resíduos na central nuclear de Almaraz, situada a cerca de 100 quilómetros de Castelo Branco.

A notícia é avançada esta quarta-feira por vários meios de comunicação social, que citam o Ministério do Ambiente.

Segundo este existem garantias do lado de Espanha que o processo de construção do armazém “não está encerrado”, ao contrário do que foi avançado nas últimas semanas.

A reunião entre os ministérios português e espanhol coincide com a manifestação marcada para Lisboa, em frente ao consulado espanhol, onde vão participar várias organizações em torno do MIA – Movimento Ibérico Antinuclear.

Segundo a Quercus, uma das associações que faz parte do MIA, “pretende mais uma vez exigir que os Governos Português e Espanhol tomem medidas no sentido de colocar em marcha o encerramento de Almaraz”.

A manifestação está marcada para as 18H00.

“Face à passividade que os vários Governos Portugueses têm revelado ao longo dos anos sobre este assunto, a Quercus considera fundamental que o atual Governo demonstre firmeza na defesa dos interesses nacionais junto de Espanha e diga claramente que o Governo Português quer ser consultado sobre tudo o que tenha a ver com a Central Nuclear de Almaraz. Mas mais importante que tudo é que diga de uma forma inequívoca que o nosso país não quer esta Central a funcionar depois de 2020 e que a mesma deve encerrar, no máximo, por esta altura”, argumenta a associação.

A contestação à central nuclear de Almaraz tem vindo a subir de tom nas últimas semanas, com a Assembleia da República a aprovar por unanimidade um voto de condenação pela opção de proceder à construção de uma central de armazenamento de resíduos nucleares.

Em Espanha a posição do Governo português tem o apoio do governo regional da Extremadura, que no dia 4 declarou através do seu responsável pela economia que Madrid deveria ter ouvido Lisboa antes de autorizar a construção do armazém. 

COMENTÁRIOS