Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Saiba mais

Castelo Branco: Obra da metalúrgica lançada a concurso

João Carrega - 04/01/2017 - 10:53

A requalificação da zona da antiga fábrica da Metalúrgica e da sua área envolvente foi lançada a concurso. As obras iniciam-se no primeiro trimestre de 2017. Saiba o que vai mudar. 

A ponte ficará para uma segunda fase

A Câmara de Castelo Branco acaba de lançar o concurso público para a obra de requalificação de toda a zona onde estava implantada a Fábrica da Metalúrgica, já demolida, e as antigas casas da CP, na Rua Pedro da Fonseca. O investimento é de um milhão e 29 mil euros e as obras deverão arrancar no primeiro trimestre de 2017, tendo um prazo de execução de três meses.

Nesta primeira fase de intervenção agora lançada a concurso público estão previstos, de acordo com a memória descritiva a que tivemos acesso, as seguintes intervenções: "reperfilamento da Rua Pedro da Fonseca, alargando os passeios e implantando arborização urbana e estacionamento público; construção de uma nova rotunda de ligação ao futuro viaduto; criação de um novo jardim público entre a Rua Pedro da Fonseca e a estação com uma área de cerca de 5 mil metros quadrados, na envolvente do qual ganharão destaque os bonitos edifícios do complexo ferroviário a conservar, as chaminés da antiga metalúrgica devidamente enquadradas no espaço público e o futuro viaduto que deve ser projetado como um elemento urbano de caracterização do espaço público e não como uma estrutura anónima de mero cariz rodoviário". No entanto, a construção do viaduto só será feito numa outra fase e numa segunda empreitada.

Nesta primeira intervenção surge ainda um parque de estacionamento de "91 lugares de em substituição dos 70 lugares atualmente existentes, sem que haja novos edifícios que aumentem as necessidades de parqueamento". Será ainda redefinida a ligação entre a Quelha do Barrocal e a Rua Pedro da Fonseca por forma a não interferir com a nova rotunda.

Mas a intervenções não se ficam por aqui. Serão plantadas cerca de 130 novas árvores em toda a área, e será instalada a nova estátua do poeta João Roiz de Castelo Branco "na confluência da Avenida Nun'Álvares com o novo jardim reforçando o papel do largo da estação como um marco nesta zona da cidade".

Esta primeira intervenção irá já preparar um percurso ciclável através do viaduto a construir na segunda fase da requalificação daquela zona. Outra das intervenções passa pelo "melhoramento da acessibilidade ao bairro do Barrocal superando a marca de alguma segregação espacial que ainda hoje se faz notar".

 

AUTARQUIA Luís Correia, presidente da Câmara de Castelo Branco, diz que "esta é uma obra importantíssima para a cidade, que vai requalificar toda a zona da estação, o que melhorará Castelo Branco. Esta é uma obra que surge na continuidade da nossa estratégia e do nosso plano para a cidade e o concelho".

O autarca diz que, a construção do viaduto "está a ser projetada. Esperamos que, se tudo correr bem, venha a ser lançada a concurso no decorrer próximo mandato".

O presidente do Município adianta que foram tomadas "as precauções" para a conclusão de toda a requalificação daquela área, uma vez "que adquirimos [a Câmara] os terrenos onde vai assentar o viaduto. Nós quando compramos património para a autarquia fazemo-lo numa perspetiva de precaver o futuro e de facilitar a concretização do nosso desenvolvimento".

Luís Correia esclarece que "desta forma estamos a planear o futuro da cidade. Esta é a nossa forma de trabalhar, com tempo, elaborando os projetos e o planeamento".

 

VIADUTO A segunda fase da intervenção, abrange uma área de 11 mil 534 metros quadrados, onde será construído um novo viaduto com ciclovia sobre a via férrea, entre a rua Pedro da Fonseca e o Barrocal; uma nova rotunda de ligação à via circular externa; novas ligações ao bairro do Barrocal; 25 lugares de estacionamento e áreas verdes de enquadramento.

Recorde-se que esta intervenção será possível porque a autarquia albicastrense adquiriu a antiga Fábrica da Metalúrgica, num investimento de 950 mil euros, tendo também acordado a demolição das antigas casas da CP com as Infraestruturas de Portugal, que cedeu aquela área por 50 anos ao município em contrapartida da Câmara recuperar o edifício da Refer para os seus serviços. O que irá acontecer agora.

Entretanto a Câmara de Castelo Branco lançou também a concurso a requalificação da Alameda do Cansado, num investimento de 906 mil euros, e a requalificação e valorização ambiental do Barrocal, orçado em um milhão 198 mil euros.

COMENTÁRIOS