Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Saiba mais

Penamacor: Termas de Águas com área de proteção aprovada

Reconquista - 15/12/2017 - 11:03

Governo quer dinamizar as termas do concelho de Penamacor "visando a criação de oportunidades de investimento, num processo de envolvimento simultâneo das populações e respetivas autarquias”.

Termas já funcionam mas a autarquia quer dinamizar o espaço. Foto arquivo

 

O Governo acaba de aprovar o perímetro de proteção das termas de Águas, no concelho de Penamacor, dando mais um passo para o desenvolvimento desta estância termal. A concessão tem uma área de 13,696 hectares e está delimitada em três zonas: uma imediata em redor do atual balneário, outra intermédia com uma área semelhante à zona construída da aldeia e uma zona alargada que abrange uma vasta área com um tamanho dez vezes superior ao da aldeia. Com a definição desta área pretende-se um perímetro de proteção “para garantir a disponibilidade e características da água, bem como as condições para uma adequada exploração”, diz a portaria publicada a 15 de dezembro.

Em comunicado, a Secretaria de Estado da Energia, dirigida pela penamacorense Jorge Seguro, diz que o objetivo é “maximizar a exploração económica deste recurso hidromineral, importante para o desenvolvimento local e para o turismo”.

A zona de proteção foi fixada depois de a Câmara Municipal de Penamacor, que tem o contrato de concessão de exploração da água mineral, ter feito o pedido, fundamentado no estudo hidrológico.

O contrato inicial de concessão de exploração das termas data de 2011 mas o processo arrasta-se há quase 20 anos.

Durante esse período o balneário foi parcialmente recuperado e tem permitido a abertura de portas entre os meses de maio e novembro, com tratamento de doenças do foro reumatológico e respiratório. Segundo o município na época que terminou recentemente passaram pelas termas 169 pessoas.

No ano passado a Câmara Municipal de Penamacor anunciou uma candidatura ao programa Portugal 2020 para a recuperação e ampliação da termas, um projeto com o custo aproximado de meio milhão de euros que incluía alojamento.

O Reconquista procurou uma reação à portaria agora publicada e o ponto de situação deste projeto mas apesar das tentativas não foi possível falar com o presidente António Luís Beites.

Para o Governo o segmento de saúde e bem-estar representado pelas termas “é um mercado em franca expansão que pretende potenciar e de que o distrito de Castelo Branco é um bom exemplo”.

As termas de Águas são as mais antigas do concelho de Penamacor, que conta ainda com as Termas de São Tiago, localizadas no hotel na sede de concelho e que foram legalizadas em tempo recorde.

Estas termas viram reconhecida no verão a qualidade da água para o tratamento de várias doenças.

O distrito de Castelo Branco tem ainda as Termas de Unhais da Serra na Covilhã e a Fonte Santa de Monfortinho, em Idanha-a-Nova.

COMENTÁRIOS