Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Saiba mais

Portagens: Plataforma pede audiência ao ministro Siza Vieira

Reconquista - 21/11/2017 - 11:22

Empresários, utentes e sindicatos querem a abolição mas admitem redução progressiva até cumprir esse objetivo.

Plataforma alega que abolição teria vantagens para a economia. Foto arquivo Reconquista


As organizações regionais que reclamam o fim das portagens na A23 e A25 vão pedir uma audiência ao novo ministro-adjunto Pedro Siza Vieira.

A AEBB – Associação Empresarial da Beira Baixa, a Comissão de Utentes da A23, os Empresários pela Subsistência do Interior e a União dos Sindicatos de Castelo Branco reagem assim à posição pública tomada pelo ministro no Parlamento, onde admitiu vir a baixar os preços das portagens para as empresas, como estimulo à economia do interior do país.

A Plataforma de Entendimento Conjunto espera ser recebida por Siza Vieira depois de ter tentado o mesmo junto do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, do qual garante “nunca obteve qualquer tipo de resposta”.

A plataforma esteve reunida em outubro no Parlamento com os representantes de todos os grupos parlamentares, “no sentido de reforçar as preocupações sentidas pelo tecido empresarial e utentes que residem e trabalham na região da Beira Baixa e Beira Interior, face ao atual sistema de cobrança de portagens na A23 e A25”, diz o comunicado divulgado pela AEBB.

Estas reuniões continuaram já este mês com representantes da Comissão de Economia, Inovação e Obras Publicas e com a Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, onde a plataforma reafirmou “que a posição assumida é pela abolição das portagens, no entanto não querendo tomar uma posição radical que possa ser acusada de insensata, admite uma proposta de redução progressiva até à sua abolição, desde que devidamente planeada no tempo e com identificação clara do fim da sua aplicação”. 

 

COMENTÁRIOS