Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Saiba mais

Saúde: Domingo é dia de caminhar contra o cancro

José Furtado - 26/05/2018 - 14:09

 VÍDEO Os 11 concelhos do distrito de Castelo Branco vão aderir no domingo à caminhada “O que nos Liga”. Em Castelo Branco junta-se à Marcha pelo Coração.

Castelo Branco é uma das sedes de concelho que recebe a caminhada. Foto arquivo Reconquista

Os 11 concelhos do distrito de Castelo Branco vão aderir no domingo à caminhada “O que nos Liga”, organizada pelo Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC).

O evento pretende assinalar os 50 anos do núcleo regional, envolvendo cerca de 80 municípios de seis distritos da região.

As caminhadas começam quase todas à mesma hora e o objetivo da LPCC é candidatar a ação ao livro Guinness dos recordes como a maior mobilização comunitária na luta contra o cancro.

Na cidade de Castelo Branco a caminhada vai decorrer em simultâneo com a Marcha pelo Coração, que acontece há 16 anos.

As organizações decidiram juntar os eventos depois de se aperceberem da coincidência de datas.

Deste modo a Marcha pelo Coração irá partir do parque da cidade às 9H30 de domingo e poucos minutos depois junta-se à caminhada contra o cancro, no centro cívico da cidade.

Juntas seguem em direção à escola Afonso de Paiva.

Nos restantes concelhos o tiro de partida é dado junto às câmaras municipais de Idanha-a-Nova, Oleiros, Covilhã e Fundão.

Em Penamacor começa no Santo Cristo e em Belmonte no castelo.

Em Proença-a-Nova o ponto de encontro é o parque urbano e na Sertã a sede do grupo de voluntariado comunitário, na praça da República.

Em Vila Velha de Ródão parte da Casa das Artes e Cultura do Tejo e em Vila de Rei do centro de saúde. A maioria começa pelas 9H00, com exceção do Fundão que a irá fazer às 15H00, de acordo com o calendário divulgado pela LPCC.

A organização destas caminhadas acontece no Dia do Voluntário Comunitário, uma data criada pela LPCC “como homenagem aos cerca de 1500 voluntários comunitários que atuam de forma coordenada e descentralizada em toda a Região Centro”.

Estes voluntários trabalham na prevenção da doença oncológica, no apoio ao doente e às famílias e também na angariação de fundos.

 

 

COMENTÁRIOS