Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Saiba mais

Museus: Dia Internacional com programas especiais

Lídia Barata - 18/05/2017 - 10:29

Os museus da região prepararam programas especiais para celebrar o dia internacional que é dedicado a estes espaços.

O Museu Cargaleiro vai centrar-se na cerâmica ratinha

Os espaços museológicos da região têm preparados programas especiais, para o Dia Internacional dos Museus, assinalado a 18 de maio, em todo mundo, desde 1977, por proposta do ICOM – Conselho Internacional de Museus (organismo da UNESCO).

Ao Reconquista chegaram alguns programas, como por exemplo, do Museu da Seda, da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental que, neste dia, às 10H30 realiza uma cerimónia presidida pelo presidente do município, Luís Correia, na presença de várias entidades, havendo um momento musical pela Escola Superior de Artes Aplicadas e uma largada de balões, terminando com uma visita ao museu.

A Fundação Manuel Cargaleiro preparou uma programação em torno do tema definido para este ano, “Museus e histórias controvérsias: Dizer o Indizível em Museus”, que vai desenvolver entre 18 e 21 de maio.

Ao longo do dia 18, o Museu Cargaleiro irá acolher todos os visitantes de forma gratuita, estando prevista às 16H30 a realização de uma visita guiada pelo espaço, com referência à história da Coleção da Fundação Manuel Cargaleiro, limitada a 20 participantes, pelo que carece de marcação prévia.

Pelas 21H00 irá realizar-se um concerto no Museu, com entrada livre, que contará com a participação dos grupos Ensemble Ars Renovata, Ensemble Ad Libitum e Octeto de Guitarras, do Conservatório Regional de Castelo Branco.

O Serviço Educativo preparou ainda algumas atividades para o dia 18, em parceria com instituições locais para grupos escolares, que devem fazer inscrição prévia.

Assim, pelas 11H00 está agendada a encenação Ratinhos da Beira, pelo grupo de alunos do Curso de Animação Sociocultural da ETEPA, seguindo-se o atelier Decoração do meu Prato Ratinho.

Estas atividades pretendem criar uma ligação com o núcleo de Cerâmica Ratinha, da Coleção da Fundação Manuel Cargaleiro.

Salienta-se ainda a projeção do documentário Os Ratinhos na Beira, de Carlos Reis, produzido pela Escola Superior de Artes Aplicadas, com o apoio do Váatão, entre os dias 18 e 21 de maio para todos os visitantes do Museu Cargaleiro.

No dia 20, realiza-se pelas 16H00 a conferência Dez Obras para uma História da Arte Ocidental, apresentada por Catarina Moura, no âmbito do Projeto 10, promovido pelo Curso de Ciências da Cultura da Universidade da Beira Interior e que resulta da parceria estabelecida com a Fundação Manuel Cargaleiro.

E no dia 21 de maio, pelas 11H00, as famílias poderão marcar a sua presença nesta festa dos museus, na atividade gratuita, mas com marcação prévia, através da atividade "Um Museu, Uma Coleção! Se eu fosse Coleccionador?!?".

Também a Sociedade dos Amigos do Museu de Francisco Tavares Proença Júnior vai comemorar esta efeméride, com a palesta, seguida de debate, “Dom Vicente Ferrer da Rocha e a I Invasão Francesa”. Adelaide Salvado, António Pires Nunes e José Teodoro Prata discorrerão sobre as histórias em torno desta figura da cidade, a quem se ficou a dever parte da construção do Jardim do Paço e uma ação muito controversa aquando da ocupação francesa.

Serão lidos por Manuel Costa Alves e Paulo Moradias, documentos enquadradores desse período.

Para Adelaide Salvado, do conselho diretor, a escolha da figura prendeu-se com o tema proposto para o dia.

"Como foi anunciada uma nova construção de conteúdos pareceu-nos importante refletirmos sobre este vulto ainda tão mal compreendido da nossa história regional. A personagem foi retratada em dois suportes que fazem parte do acervo do Museu e que vão estar expostos".

O Trio Francisco Ceia completará a sessão com um momento musical.

O Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco promove, pelas 17H30, uma conferência subordinada ao tema "Duas grosas de dúvidas e meia dúzia de pensamentos sobre a arte clandestina dos graffiti", por Leonel Azevedo.

 

REGIÃO Mas outros museus da região prepararam também programas especiais para este dia.

O município de Vila de Rei volta a associar-se às comemorações do Dia Internacional dos Museus, Dia da Família e Noite dos Museus, com um conjunto de iniciativas que pretendem sensibilizar para a valorização do património.

Assim, no dia 18, o Museu Municipal de Vila de Rei inaugura a exposição de fotografia “Aquedutos de Portugal”, de Pedro Inácio.

O autor, coordenador do Museu da Água da EPAL e vice-presidente da APOM – Associação Portuguesa de Museologia, vai ainda ser orador da palestra “Água, Património e Turismo”, a ter lugar pelas 15H00.

Ao longo do dia, as crianças das Creches e Jardins de Infância do Concelho, 1.º Ciclo e os utentes do Centro de Atividades Ocupacionais da Fundação Garcia, vão participar em diversas atividades educativas e lúdico-pedagógicas, intituladas “A Família na Ecologia da Vida”.

Entre as 16H30 e as 18H00, os participantes irão ainda assistir ao filme da Disney “Vaiana”.

No dia 19, o Museu da Geodesia recebe uma palestra, às 21H00, com o professor Máximo Ferreira, do Centro de Ciência Viva de Constância, seguindo-se uma Observação Astronómica da responsabilidade do mesmo Centro.

Na Covilhã, o Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior tem várias atividades também preparadas, nomeadamente as ações "Museu descoberto e aberto (1992-2017)", "Da manufatura à industrialização dos lanifícios", "Desenhos de Portugal / Sketches of Portugal – Maria Lopes", "Real Fábrica de Panos: um ‘tinte’ descoberto, um museu aberto" e "‘Tinte’ descoberto, museu aberto". 

COMENTÁRIOS